TESTECategoria: VÍDEOS

Ciclo de Ouro do Visual Merchandising
CASE

Ciclo de Ouro do Visual Merchandising

O Ciclo de Ouro do Visual Merchandising O Ciclo de ouro do visual merchandising é uma das técnicas que utilizamos para validar a compreensão do observador ou consumidor sobre a mensagem que queremos transmitir na cenografia ou na composição executada. O ciclo serve como uma base da qual sua leitura não segue uma uniformização, porém...

Circulação de cliente e a Bandeira da Inglaterra, qual a lógica?
CASE

Circulação de cliente e a Bandeira da Inglaterra, qual a lógica?

A verdade incontestável é que por mais que se queira dar 100% de exatidão a respeito de como um cliente vai circular em uma loja, estamos sempre em uma aposta, pois, estamos falando de pessoas. Neste sentido temos que lidar com infinitas variantes. A menos que se tenha um circuito obrigatório, tudo fica baseado nas...

Circulação em Stand: Facilitando a visão dos clientes
CASE

Circulação em Stand: Facilitando a visão dos clientes

Definir a melhor forma de estabelecer a circulação do consumidor em espaços comerciais é considerar a dinâmica individual do ambiente e identificar as circunstâncias que definem sua interpretação para espaços diferentes. O senso comum sobre circularidade em espaços de varejo – que implica em provocar o movimento do consumidor de modo contínuo, de modo que...

Pop Art: a arte que vende
CASE

Pop Art: a arte que vende

Apesar da incoerência, visual merchandising não é arte e sim uma ação de comunicação na qual nos apropriamos do mundo artístico para chegar ao objetivo final que é a formação de imagem em um ponto de venda. Vamos falar sobre a Pop Art e sua influência no comportamento do consumidor. O Pop Art é um...

Escolha do Fornecedor em Visual Merchandising garante o resultado final
CASE

Escolha do Fornecedor em Visual Merchandising garante o resultado final

A escolha de fornecedores em projetos de Visual Merchandising pode significar a adequação ou a inadequação do resultado final. Para garantir a qualidade em todo o processo, é preciso gerenciar do começo ao fim com fornecedores profissionais e comprometidos, afinados com a Equipe. Temos como tendência natural acharmos um culpado para alguns contratempos na produção...

O Perfil do Profissional de Visual Merchandising 360º
CASE

O Perfil do Profissional de Visual Merchandising 360º

Um profissional de Visual Merchandising tem que ter competência e treinamento para aplicar as técnicas aprendidas ao mundo real, que nem sempre é gentil. Isso o torna mais completo, o que chamo de Profissional 360º. Saber observar o mundo ao nosso redor, permitir que mesmo o banal traga subsídios para o desenvolvimento de nossa criatividade...

Visual Merchandising e o Hedonismo
CASE

Visual Merchandising e o Hedonismo

A função do Visual Merchandising é entregar prazer ao cliente. Tudo o que remete ao prazer – seja uma comida, uma bela vitrine ou uma viagem – é um ato de hedonismo. Hedonismo tem a sua tradução popular mais conhecida como prazer ou – para muitos – algo ligado à sexualidade, porém não é exatamente...

A Sociedade Midiática e o Hedonismo no Visual Merchandising
CASE

A Sociedade Midiática e o Hedonismo no Visual Merchandising

Falar em visual merchandising é acima de tudo entender o comportamento da sociedade. Vivemos na Era da Sociedade Midiática que muito ajudou no aprimoramento e no desenvolvimento da excelência em todas as áreas que envolvem o varejo, a estética e as ações de visual merchandising. A sociedade midiática – junto com a hedonista – é...

Shoppings e Lojas de rua coexistem
CASE

Shoppings e Lojas de rua coexistem

Não existe mais separação física entre o frequentador do shopping e o de rua como no passado. Com a consciência do seu poder enquanto consumidor e formador de opinião, desapareceram as antigas separações. Somos únicos. Esta é uma realidade que só tende a crescer no mundo todo. A Europa ainda mais do que no Brasil...

Mitos do Visual Merchandising
CASE

Mitos do Visual Merchandising

Sócrates já dizia alguns milênios atrás a seguinte frase: “só sei que nada sei”. Tentar colocar algo como uma regra definitiva numa profissão como a de Visual Merchandiser, ainda não regularizada oficialmente no Brasil e em muitos países, é muito perigoso. Um dos maiores mitos sobre visual merchandising é quando colocamos regras numa profissão. O...

O Consumidor Hiper Pop quer um Pedaço dos seus Ídolos
CASE

O Consumidor Hiper Pop quer um Pedaço dos seus Ídolos

O consumidor hiper pop bem típico do momento que estamos vivendo sempre existiu. Ele nasceu na década de 60 junto com o movimento libertário da arte pop e continua fazendo com que o varejo e todo mundo da moda e de produtos afins que compõem um universo alegre se movimente. É assim que o mundo...

Visual Merchandising: Uma fórmula para Analisar o seu Projeto
CASE

Visual Merchandising: Uma fórmula para Analisar o seu Projeto

Estamos falando de gestão em visual merchandising. É sempre bom ter uma dica que nos oriente na hora de interpretar o que projetamos visando aparar as arestas daquilo que não deixa o nosso projeto ser o mais assertivo possível. Para tanto pensei numa fórmula apropriada de um conceito vindo do setor de programação de sistemas,...

O Anti-Varejo: como o Achômetro impacta nas vendas
CASE

O Anti-Varejo: como o Achômetro impacta nas vendas

Anti-varejo é quando as decisões da equipe se embasam no achômetro e a loja não convida o cliente a entrar. Os riscos no varejo são atenuados quando seus profissionais são preparados e contam com o apoio adequado de colaboradores externos e fornecedores. Todo tipo de negócio tem riscos. No caso do varejo, esses riscos vão...

Curadoria em Visual Merchandising: toda a equipe deve entender o conceito
CASE

Curadoria em Visual Merchandising: toda a equipe deve entender o conceito

O sucesso de um projeto de visual merchandising passa pelo envolvimento de todos os funcionários: o visual merchandiser, passando pelo designer e chegando à equipe de venda, a compreensão do conceito de cada projeto é fundamental. Para transformar uma loja em um oásis para o cliente, a equipe completa deve estar envolvida e informada. Garantir...

Vitrines com objetos do cotidiano
CASE

Vitrines com objetos do cotidiano

As exposições de produto mais criativas são aquelas de linguagem simples e entendimento rápido. Os objetos do cotidiano como cadeiras, escadas, copos e outros, funcionam como símbolos que podem ser utilizados na comunicação da loja. A criatividade em visual merchandising está mais perto do que você imagina. Uma das habilidades necessárias ao profissional de visual...

Yayoi Kusama: uma mulher, uma marca, um ícone
CASE

Yayoi Kusama: uma mulher, uma marca, um ícone

Yayoi Kusama faz uma arte que inspira grandes marcas como Louis Vuitton. Todo profissional de visual merchandising precisa conhecer seu trabalho. Através da obra O Espelho Infinito, Kusama nos leva à verdadeira síntese de ser um criativo, nos jogando para além da percepção de um espaço e nos arremetendo para a infinitude de nossa capacidade...

Visual Merchandising para Consumidores Hiper Modernos
CASE

Visual Merchandising para Consumidores Hiper Modernos

O consumidor hiper moderno é aquele bem informado, com um conhecimento amplo sobre tudo o que envolve o universo do varejo assim como os acontecimentos mundiais. Este consumidor é extremamente exigente e ciente de sua importância no mercado e não abre mão de estar antenado com o mundo, com as tecnologias, a cultura. É esse...

Como fidelizar clientes nômades no varejo
CASE

Como fidelizar clientes nômades no varejo

Em tempos ambíguos ou de crise, as empresas do varejo devem investir no fator surpresa para manter a fidelidade dos clientes. Ter que lidar com clientes inteligentes é ter a consciência plena de que eles são nômades, ou seja, infiéis por princípio mais fiéis aos seus princípios. O que nos obriga enquanto empresários e projetistas...

Visual Merchandising: quando o Cliente não sabe o que quer
CASE

Visual Merchandising: quando o Cliente não sabe o que quer

Não é incomum o cliente que contrata um profissional de visual merchandising não ter a certeza de tudo o que ele necessita e de fato quer. O querer é um sentimento vindo de um repertório imaginativo ideal estético e a necessidade é oriunda do quê a empresa precisa para alcançar seus objetivos. Diante nesta situação...

Visual Merchandising: Sem Regras tudo vira Brincadeira
CASE

Visual Merchandising: Sem Regras tudo vira Brincadeira

Por mais libertário que deva ser o processo criativo em Visual Merchandising, se faz necessário que existas alguns parâmetros orientadores. As normas e regras não são para castrar criação, mas sim para balizar decisões assertivas. Normalmente sta orientação surge na forma de um guideline ou até mesmo um documento específico por coleção ou tipo de...

Existe dissonância cognitiva em Visual Merchandising?
CASE

Existe dissonância cognitiva em Visual Merchandising?

O Visual Merchandising também faz uso do conceito de Dissonância Cognitiva da área da psicologia e utilizado no estudo de comportamento do consumidor. Na psicologia, dissonância cognitiva se refere ao conflito entre duas ideias, crenças ou opiniões incompatíveis. São incoerências e/ou contradições entre a maneira que agimos e a maneira que pensamos. Ou seja, é...

Estimule a criatividade saindo de dentro das quatro paredes
CASE

Estimule a criatividade saindo de dentro das quatro paredes

Todo mundo que trabalha com o processo criativo padece do mesmo problema que se chama quatro paredes. Muitas vezes pensamos ser criativos de insights como se fosse mágica porém não é assim que funciona. Com o passar do tempo precisamos sair da zona do conforto que é o escritório para uma zona de total conforto...

O processo do Visual Merchandising inicia-se de dentro pra fora
CASE

O processo do Visual Merchandising inicia-se de dentro pra fora

Há anos em minhas consultorias venho falando dos processos necessários de Visual Merchandising que nada tem haver com estética, criação, distribuição, etc. Não existe Visual Merchandising que resista à falta de processos sem um olhar critico para dentro de sua própria empresa. Existem vários pontos que poderíamos tratar, porém neste momento vamos nos ater a...

São os Detalhes que passam a história no Visual Merchandising
CASE

São os Detalhes que passam a história no Visual Merchandising

Quando criamos uma vitrine ou mesmo planejamos o Visual Merchandising interno de uma loja temos nossa mente voltada para o todo. Pensar no todo faz parte do processo, mas ao analisarmos o que de fato realmente toca de maneira sensível nossos sentidos e desperta sensações quase sempre e inexplicável percebemos que são os detalhes. Podemos ser...

Tetos no varejo: sob que céu iremos colocar nossos clientes?
CASE

Tetos no varejo: sob que céu iremos colocar nossos clientes?

Não me canso de exaltar a qualidade de designers que temos mundo afora quando falamos em ponto de venda. A cada dia que passa observamos obras de artes sendo criadas em prol de marcas e produtos as quais são inegáveis os talentos que as conceberam. Sabemos que o ser humano por instinto ao adentrar em uma...

Felicidade é o conceito que mais vende em Visual Merchandising
CASE

Felicidade é o conceito que mais vende em Visual Merchandising

Vivemos a era do consumo, onde a concorrência briga acirradamente pela atenção dos consumidores. Sabendo da grande oferta e do seu poder o cliente quer mais do que um simples motivo para comprar a sua marca e não outra. Existem também outros fatores que fazem com que os consumidores se tornem difíceis de serem atraídos...

A Cadeia Alimentar do Visual Merchandising
CASE

A Cadeia Alimentar do Visual Merchandising

Nada se cria, tudo de transforma. Em visual merchandising, assim como em outros setores, existe um início. O importante em ser um profissional de qualquer área é ter a percepção aberta para todas as questões da vida, por incrível que pareça. Somente na observação e com a percepção totalmente aguçada é que conseguimos fazer algumas...

Manequim não é polêmica, é solução
CASE

Manequim não é polêmica, é solução

Manequim é a solução, não é o problema. Se o mesmo é uma representação humana ele é o maior vendedor que uma loja pode ter. Como todo vendedor tem regras, tem conduta de atendimento, de apresentação da sua imagem, da mesma forma o manequim tem a obrigação quase três vezes mais importante do que qualquer...